segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Uma perereca sobrando...

Acordei cedo e fui escovar os dentes. Tudo calmamente até eu perceber que havia uma perereca no banheiro e (Barbaridade!) não era a minha! Não se faz isso com uma mulher numa segunda-feira de manhã. I freaked out. Não há palavras em português para descrever. Para quem gritar às 6h da manhã?

Só sei dizer que meu mundo hoje está um tanto lésbico, pois vejo pererecas em todo lugar. Qualquer mancha no chão vira uma criatura assustadora.

Eu gritei, tremi e só não chorei para não perder o controle. Perdi a voz. Fiquei sem saber o que fazer. Então lembrei de outra vez que uma apareceu por aqui e meu pai (Graças a Deus!) estava por perto. Tentou pegá-la com as mãos e não conseguiu. Então, calmamente achou um vidro velho de maionese, colocou em cima dela, passou um papel por baixo e levou a bichinha para longe.

A possibilidade de pegá-la com as mãos nem passou pela minha mente. Arrepio só de pensar nisso. Então encontrei o potinho transparente que guardava o sabão na pia da cozinha. Se minha vida fosse um filme, seria uma daquelas cenas de chorar de rir, de comentar mais tarde com os amigos.

Eu tentava colocar o pote em cima dela, mas é lógico que ela não se rendia. Ela pulava, eu pulava e gritava. Uma hora quase encostou em mim, já pensou? Eu morreria ali mesmo! A gosma verde pulava desesperada e eu mais desesperada ainda. Achei que meu coração ia sair saltitando junto com ela. Quando vi que o pote não estava dando certo, tentei jogar um tapete na bichinha. Mas é lógico que a mira não ajuda quando estamos tremendo.

Até que enfim consegui prender a feiosa debaixo do pote. Então peguei o rodo e com toda a minha força, como se fosse pererecamente possível ela levantar o pote, fui empurrando a sem vergonha porta afora. Faltando uns dois metros para terminar o percurso, a preguiçosa cansou. Acho que machuquei a sua perna, deve ter ficado manca, pois parou de pular.

A gosmentinha deixou o chão úmido por onde passou e meu estômago embrulhado pelo resto do dia. Peguei um pano velho, muito desinfetante e fui refazendo nossa rota. Depois exorcizei o pote e o pano, coloquei numa sacola e joguei fora. Agora há pouco uma mosca apareceu de repente ao meu lado. Me assustei como se fosse um dragão.

Aquela perereca é abusada. Imagine o trabalho que teve para subir a parede e entrar pela janela? Acho que essa não volta mais, estamos as duas muito assustadas. Mas, ainda assim, mudei meus conceitos, descobri que preciso casar. É indispensável ter um caçador de pererecas em casa na segunda-feira cedo. Talvez eu precise passar por um tratamento pós-traumático. Talvez alguém me peça em casamento e eu aceite. Ele vai pensar que é por causa dos seus dotes, que recebem outro nome do mundo animal, mas nós saberemos que o problema mesmo é a perereca.

8 fizeram a Carol feliz...:

Wanderley Elian Lima disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkk, não se preocupe com o trauma Carolina. Nada que 10 anos de terapia não cure.
Bjux

Sac do Amor disse...

kkkkkk ilario!
Saudades desse template, meu primeiro blog era assim, saudades =).

bjaum

Daniel Savio disse...

Menina, a minha mãe também tem pavor de sapos e a fins, fato, ela fica nervosona...

Fique com Deus, menina Carolina Filipaki.
Um abraço.

Paula de Assis Fernandes disse...

Carol, vc é uma figura!!!

♥ Evelin Pinheiro ♥ disse...

Ahhhhhhhhhhhhhhh
tenho verdadeiro pavor de pererecas, sapos e rãs!
Só de pensar nesta criatrura se chegando até a mim...ploft!!

mas... isso é uma verdade: " É indispensável ter um caçador de pererecas em casa na segunda-feira cedo." Não só cedo, como a noite tb....66'

BeijO*-*

http://evesimplesassim.blogspot.com/

Mari disse...

kkkk! ameiiiii
odeio pererecas tbem... meu conceito de casamento mudou também desde que vi uma no banheiro de casa.. pensei a mesma coisa que voce^...kkkkk
Adoooorroooo vco

Mari disse...

kkkk! ameiiiii
odeio pererecas tbem... meu conceito de casamento mudou também desde que vi uma no banheiro de casa.. pensei a mesma coisa que voce^...kkkkk
Adoooorroooo vco

Maris Morgenstern disse...

Sim,'nos casamos mesmo pra q tenha alguém pra dar um trato na perereca na segunda de manhã.

Carol, eu quase morri de rir,
li tres vezes, chamei minha mãe, e li interpretando vc.


Obrigada.